Pesquisar neste blog

Mostrando postagens com marcador livros. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador livros. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Legos e projetos


Quando eu era pequena de idade, eu brincava muito com legos, hoje eu brinco com os projetos de pesquisa que são quase a mesma coisa...



Projetar, observar, pensar nas peças que se tem, começar a fazer, ver que não dará certo, parar, fazer de novo, prosseguir, derrubar tudo, recomeçar, não gostar, gostar, mostrar para alguém, ficar olhando e pensando nos próximos passos, cansar e guardar!

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Vontade de leitura




Chega nessa época do ano algo em mim anseia por literatura, passo a ter vontades constantes   de ler clássicos, de me envolver com arte de me relacionar com vários personagens. Então, desço até as minhas duas estantes de aço e tirando as duas filheiras de livros de cada prateleira repenso nos que eu tenho, nos que eu ainda não li...não obtendo sucesso procuro uma biblioteca municipal e se mesmo assim não obtenho sucesso vou até o submarino e lá encontro o que eu quero.


Faz anos que é assim....

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

O casamento e o pecado

Postei o texto abaixo na Revista Revolution


Olá pessoal, quanto tempo não é mesmo? Chegou 2016, o ano do meu casamento (ebaaa), nesse tempo de "férias" aproveitei para preparar os detalhes que estavam faltando do casório (ufa, agora falta só acertar o meu vestido rs) adiantar trabalhos acadêmicos e me preparar para receber meus pequenos alunos (que conhecerei no dia 11).
Estou bem animada com este ano e percebi que tenho pensaaaaaaaado muito no casamento... e é disso que venho tratar hoje, quero indicar aos solteiros, namorados, noivos e casados um livro cuja capa está abaixo:






Esse livro, é maravilho, revolucionou minha visão de casamento, nele, é tratado de doutrinas básicas para sustentar o casamento, além de tratar do pecado, da misericórdia, do perdão, da graça, do sexo e da morte do seu companheiro. É um livro rico em teologia, mas escrito de maneira acessível à todos, o autor é pastor que aconselhou muitos casais.
Assim, no livro é relatado que nós devemos ter a consciência que somos  os piores pecadores e estamos nos casando com pecadores, considerando que o foco do casamento deve ser a glória de Deus. Por isso, nos casamentos, é comum fazermos  com nosso companheiro o que não queríamos,pois "Este é o lado desagradável do casamento: a realidade de viver diariamente com alguém num mundo caído." (p. 31)
Para sustentarmos um casamento devemos ter humildade e suspeitar de nós mesmos, pois  "A verdadeira humildade consiste em vivermos confiantes na justiça de Cristo, suspeitando de nossa justiça própria." (p. 57).

Além disso, devemos ser misericordiosos, pois Cristo foi e "A misericórdia de Deus significa sua bondade, paciência e perdão para conosco. É a sua disposição compassiva de sofrer por e com pecadores para o bem deles. Na bíblia, a misericórdia une o rigoroso dever da justiça à ternura do relacionamento pessoal. A misericórdia explica como um Deus santo e amoroso pode relacionar-se com pecadores sem comprometer o que Ele mesmo é." (p. 71)


Enfim, é um livro maravilhoso para aqueles que buscam acertar no casamento e compreendê-lo melhor, vale a pena ler. Abaixo, deixo algumas frases desse livro:

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

O mágico de oz: frases de um livro





Hoje, terminei de ler um livro encantador um conto de fadas que trata de uma menininha que chega a terra de Oz e busca o caminho para casa o interessante é que ela passa por várias dificuldades encantadoras até encontrar o caminho, mas ela não encontra sozinha, pois na caminhada conhece amigos que desejam ter um cérebro (espantalho), um coração (homem de lata) e coragem (leão). Cada qual tem uma busca, mas juntos cada um encontra o que procura e que na verdade já estava dentro de si.

Abaixo algumas frases desse livro tão especial.


(p. 41)


Ao contrário do que dizem o coração precisa de razão, como disse o espantalho é necessário ter um cérebro para saber o que se fazer com o coração, pois o coração é enganoso.

"Dorothy começou a soluçar diante destas notícias, porque se sentia muito sozinha no meio de toda essa gente estranha." (p. 18)

  É muito comum estarmos rodeados de pessoas e mesmo assim nos sentirmos sozinhos pelo fato das pessoas serem "estranhas" para nós.


"-Eu não posso entender por que você deseja sair deste lindo país e voltar para o lugar seco e cinzento que você chama de Kansas.
-Isso é porque você não tem cérebro - respondeu a menina - Não importo o quanto nossos lares sejam monótonos e cinzentos, nós, as pessoas de carne e osso, preferimos morar lá do que em qualquer outro país, por mais bonito que seja. Não existe nenhum lugar como o nosso lar." (p. 29)

Como diz Green, o "lar é onde está nosso coração" apesar dos pesares ele ainda é o melhor lugar de se estar.


-"Se você sofre do coração - continuou o Lenhador de Lata - deve se dar por feliz, porque isto prova que tem um coração. Quanto a mim, não tenho coração, portanto não posso sofrer dele." (p. 45)

O lado bom de sofrer do coração é que se tem um, quantos não descobrem que tem um coração somente depois que sofrem dele?

"-Eu estou com um medo enorme de cair - disse o Leão Covarde -, mas suponho que a única coisa a fazer é experimentar. Assim, suba nas minhas costas e vamos tentar." (p. 50)

Ter coragem não é ter medo, mas é enfrentá-lo e fazer o que tem que ser feito no meio do medo, é andar mesmo quando o medo tenta paralisar.



Referência

BAUM, Lyman Frank. O mágico de Oz. Trad. Lagos, William. Porto Alegre: L&M, 2001.




sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

O que fazer com os impulsos sexuais?: capítulo 7 do eu amo você


Olá princesas, hoje, continuo a relatar sobre o livro Eu amo você, no sétimo capítulo desse livro o autor inicia com um versículo Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel, e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, justamente com a tentação, vos provera livramento, de sorte que a possais suportar," (I Coríntios 10.13). 
Ele continua relatando que "O impulso sexual é um
instinto, uma resposta automática às circunstâncias ou situações estimulantes.... Se nós deixamos estes instintos poderosos dominarem a nossa vida, nos tornamos escravos deles. E, uma vez que os nossos impulsos sexuais ganharam o controle dos nossos sentimentos e conduta, dificilmente irão nos abandonar.".
O autor relata que o impulso sexual não é bom e nem mal, mas dependerá de como lidaremos com esse impulso, em seguida, o autor dá algumas sugestões práticas para controlarmos os  impulsos sexuais:


"1) Tenha certeza que Jesus Cristo é o seu Salvador e Senhor pessoal.

  
2) Reconheça o conflito que há em você.  (A carne milita contra o Espírito, e o Espírito contra a carne)


3) Você deve reconhecer que a batalha começa com o controle da mente.


4) Cuidado com as suas amizades.


5 ) Não se coloque em situações onde você poderá desenvolver pensamentos, atitudes e ações que não agradem ao Senhor.


6) Confesse os seus pecados.

7) Evite racionalização ou justificativas

8) Lembre-se das providências divinas (Deus providenciou um meio físico de alívio deste impulso através de emissões seminais noturnas.... [além disso] Uma segunda área relacionada às providências divinas se aplica a moças e rapazes e é chamada de "sublimação" ou processo de despender e queimar energia sexual através de exercícios físicos e mentais, atividades e projetos diversos. Sublimação é a defesa mental que deve ser usada para transformar um tipo de procedimento inaceitável em um comportamento aceitável. Desde que o instinto sexual é essencialmente físico, embora existam implicações emocionais, também, uma das melhores maneiras de reduzir a pressão é transformá-lo numa atividade física. Pode ser um passeio, jogar futebol ou vôlei, ou um projeto que envolva criatividade. Desta maneira, você estará soltando a válvula da panela de pressão).


9) Medite na Palavra de Deus.


10) Lembre-se da promessa de Deus: "E eis que estou convosco".

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Frases do livro Alice no país das maravilhas



Ontem acordei com uma vontade de ler Alice no país das maravilhas de Lewis Carroll, foi como se nesse livro houvesse respostas para algo que eu nem sabia como perguntar. Carroll foi escritor de fábulas, poesias, contos, romances, foi também desenhista, fotógrafo, matemático e reverendo anglicano.
O livro retrata a história de Alice, uma pequenina esperta e curiosa que ao correr atrás de um coelho acaba encontrando o país das maravilhas, inicialmente, Alice cai em um buraco para só então conhecer as maravilhas do país. Para isso, indaga a todos que encontra e passa tempo com eles e os conhece melhor, ao final, Alice acorda e sente-se maravilhada pelo sonho tão bom que teve.
Lendo essa história me pareceu uma alegoria com a vida cristã, seguimos a Cristo e então encontramos o país das maravilhas que não é eterno, até que possamos viver a eternidade e olhar para tudo isso como se não tivesse sido real.
Alegorias a parte, destaquei algumas frases do livro que gostaria de compartilhar:














[Alice] Nada conseguiu e desesperada sentou-se no chão e chorou.
De repente disse para si mesma: "Bôba! De que vale chorar?" Alice era uma menina inteligente e prática, das tais que costumam dar bons conselhos a si mesmas. Ás vezes chegava a ponto de repreender-se com tanta severidade que se punha a chorar.










Alice e o Grifo sentaram-se, e durante vários minutos ficaram sem ouvir coisa nenhuma, porque a Tartaruga nada dizia.
-Se não começa nunca, como há de acabar? pensou Alice.




-Pensando de novo? observou a Duquesa.
-Penso porque quero. Creio que tenho o direito de pensar, respondeu a menina já meio aborrecida.
-Você tem o direito de pensar como os porcos têm o direito de voar.

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Livros lidos

Nossas leituras nos formam!







Iniciei meu relacionamento com os livros quando tinha 13 anos, na certeza de que era tardio lia constantemente. Mencionarei aqui os principais livros que li e que contribuem para a escrita deste blog.




1- Romance à maneira de Deus

2- Sua perfeita fidelidade

3-Eu disse adeus ao namoro

4- Garoto encontra garota

5- Quando pecadores dizem sim







terça-feira, 28 de outubro de 2014

Mal sabia ele que era mais feliz sem ter aquilo que tanto desejava...

Fantástico, não resisti, compartilho o texto postado no blog da Pati Geiger:





"Seguiam os quatro assim...
pela estrada de tijolos amarelos.
Tentando chegar à cidade de Oz, para que o famoso mágico pudesse lhes conceder seus desejos.
Dorothy, só queria voltar para casa.
O Leão Covarde, queria ter coragem.
Mas mal sabia ele que a coragem, já habitava dentro de si.
O Espantalho, só queria ter um cérebro, mesmo sendo extremamente inteligente e não se dando conta disso.
E nosso último viajante, o Homem de Lata.. ah, o Homem de Lata!
O meu personagem favorito dessa história.
Ele só queria um coração.
Mal sabia ele que era mais feliz sem ter aquilo que tanto desejava.
"Agora eu sei que tenho um coração, porque ele está doendo."





Fonte:http://ideiasnoforno.blogspot.com.br/2014/10/o-homem-de-lata.html

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Namoro a três: capítulo 3 do Eu amo você



Hoje, vamos falar do terceiro capítulo do livro Eu amo você para quem não está acompanhando as postagens aqui temos um post sobre o prefácio do livro, aqui sobre o primeiro capítulo e aqui sobre o segundo capítulo do livro.
O capítulo de hoje é muito edificante e trata de um tema que eu vejo esquecido entre os casais, o capítulo intitula-se "Namoro a três!" e inicia-se com um versículo Portanto, quer comais, quer bebais, ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus (I Coríntios 10.31), com isso o autor nos alerta que nosso relacionamento também deve ser para a glória de Deus.
O autor volta ao tema do jugo desigual e enfatiza que essa ação resulta em um “casamento incompleto, porque o aspecto prioritário do casamento, que é a unidade espiritual, está perdido.”.
Ele relata que:

 “Certa vez, num dos meus seminários, eu fiz a seguinte pergunta para os rapazes: Quando foi a última vez que você orou com a sua garota?. Depois da palestra, um rapaz me disse: Jaime, oração no namoro? Não tem cabimento!. Eu falei para aquele jovem crente: Se não há ambiente para oração, alguma coisa está errada no seu namoro, porque a oração deve ser a prática mais espontânea na vida cristã, dentro ou fora do namoro.  Uma moça certa vez me disse: Jaime, nós não oramos, nem lemos a Bíblia, ou conversamos sobre coisas espirituais no nosso namoro porque o meu namorado é um pouquinho tímido a respeito de coisas espirituais. Muito bem, eu disse, posso entender essa timidez se ele é um crente novo, ou se seu namoro está no início. Entretanto, se depois de seis meses ou um ano, ele ainda não quer orar, ou ler a Palavra com você, você deve pensar seriamente se quer continuar com ele ou não."

O autor relata que os momentos de oração nos dão força para momentos de “[...] tentação, especialmente no controle dos impulsos sexuais e no relacionamento físico no namoro.” Ele nos alerta:

“Jovens, se vocês não oram no período do namoro e do noivado; se vocês não lêem a Palavra juntos e procuram obedecê-la; se vocês não procuram ter uma conversa aberta e franca sobre suas vidas íntimas, sobre suas lutas e dificuldades, não pensem que, de repente, no primeiro dia do casamento, será automático orar; que será automático colocar a Bíblia como prioridade e organizar a vida conforme os  princípios de Deus. Isso simplesmente não acontecerá. O período de namoro e noivado é muito importante para construir o alicerce de um casamento feliz”



Além disso, o autor nos traz cinco questões para desenvolvermos os padrões de Deus em um namoro:

1)            Desenvolvam atividades em grupos e evitem ficar em casal, ou seja, apenas os dois por muito tempo;
2)            Estabeleçam regras de conduta;
3)            Orem juntos, para entregar uma atividade específica, após uma conversa séria, quando se está passando por uma dificuldade, para agradecer, entre outras situações;
4)            Tenham uma comunicação aberta; “Procurem resolver os problemas logo no início, sem deixar acumular encrencas e sentimentos de rancor contra o seu parceiro.”; e
 5) “Procurem ler bons livros. Sugiro os seguintes: Uma Bênção Chamada Sexo, de Robinson Cavalcanti; Casei-me Com Você e Amor, Sentimento A Ser Aprendido, de Walter Trobisch; A Família do Cristão, de Larry Christenson.”

Por fim,  o autor finaliza o capítulo advertindo-nos a sermos cautelosos com as conversas durante o namoro e evitar as conversas íntimas sobre sexo,  pois “ Isso pode levá-los a serem despertados
sexualmente. Não há nenhuma dúvida em minha mente de que você quer um casamento feliz, dentro do padrão de Deus. No entanto, para que isto aconteça, você tem que começar a construir a sua casa na rocha que é Jesus Cristo e na Palavra de Deus. Decida em seu coração que você baseará seu namoro nos princípios e propósitos de Deus. Que Deus o abençoe”


quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Que sociedade? Que harmonia? Que união?: capítulo 2 do Eu amo você

Postei no blog Menina, Mulher Cristã





Olá princesas, como estão? Antes de falar do livro acima, gostaria que pensassem em algumas questões:

-Com quem você tem se harmonizado ultimamente? Quais as características dessas pessoas?
-Com quem você tem estabelecido uma união? Quem são? Como são? 


Feita as perguntas, vamos ao livro, para quem não está acompanhando as postagens aqui temos um post sobre o prefácio do livro e aqui sobre o primeiro capítulo. Hoje, vamos falar do segundo capítulo do livro Eu amo você, e é intitulado de “Que sociedade? Que harmonia? Que união?", nesse sentido, o autor relata que uma moça iria se casar com um rapaz que não era cristão, assim o autor Jaime aconselhou a moça para que não fizesse isso, porém, ela decidiu se unir ao moço não cristão.   Após um ano e nove meses, a moça  ligou para o autor relatando problemas com seu casamento e em pouco tempo se separou. 
Jaime afirma que 75% dos problemas dos casamentos iniciaram-se no namoro e no noivado, ele alerta “Jovem, Deus tem um plano maravilhoso para você! Deus está  mais interessado com quem você vai casar do que você  mesmo. Espere n'Ele e Ele tudo fará.”
Jaime relata que Paulo na sua segunda carta aos  Coríntios diz:

"Não vos ponhais em jugo desigual. "

Em vários momentos ouvi esse versículo, porém Jaime traz uma história que relata a abrangência do jugo desigual, ou seja, ele  se lembra de uma situação em que viu dois bois puxando um carro cheio de cana e se lembrou do aprendizado de seu pai  que:  “[...] nunca se deve  colocar um cavalo e um boi na mesma canga [...] o cavalo vai correr para rápido para um lado e o boi vai andar devagar  para o outro. Nunca vão puxar o carro juntos, porque a  natureza de um é totalmente diferente da natureza do outro"

Princesas, acredito que vocês não querem se casar com aqueles que vão no ritmo e no lado opostos aos seus não é mesmo? Por isso, cuide do seu presente, peça direção do Senhor para cada atitude e afasta-se do jugo desigual, busque o igual, afinal, a tal ideia de que os "opostos se atraem" é uma mentira! Busque a verdade, busque o que é comum e harmonioso.






quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Fim de um namoro início da vontade de Deus: capítulo 1 do Eu amo você




No primeiro capítulo do livro Eu amo você, o autor intitulou de "Era uma vez", nesse sentido, o autor relata que a fim de seguir seus planos individuais ele e sua namorada seguiram caminhos diferentes e cidades diferentes, porém eles trocavam cartas durante o namoro à distância.
Até que um dia as cartas foram diminuindo....diminuindo... e o autor orava no sentido da vontade do Senhor ser que essa namorada fosse a vontade do Senhor para vida dele. Na verdade, ele não estava preocupado em fazer a vontade do Senhor, mas transformar a vontade do Senhor na mesma vontade dele.Ele relata: 

Como foi difícil para mim entregar o namoro nas mãos de Deus e confiar no "Deus da minha Salvação"! Parece que com todos os jovens é a mesma coisa: entregar toda a vida, todo o futuro é até certo ponto, fácil, mas o namoro, "ah, isto é outra coisa!"

Passado alguns dias eis que ele recebeu uma carta em que sua namorada dizia que  sentia que era a vontade de Deus o término do namoro. 

Durante esse período o Senhor entregou um versículo para ele em que dizia para ele entregar os caminhos para o Senhor e confiar nele. Enfim, ele seguiu a vida dele, foi estudar e  após nove anos  havia uma moça orando assim "Senhor, tu conheces o meu coração, Tu sabes que eu estou pronta para ir ao campo    missionária sozinha, mas se o Senhor quiser mandar um missionário comigo, por favor mande ..."       E ele do outro lado da cidade estava  pastoreando a igreja,     estudando os livros livros e "tentando entregar diariamente os  sentimentos e desejos ao Senhor, orava: "      Senhor, Tu conheces o meu coração, Tu sabes que eu estou pronto para ir ao campo missionário sozinho, mas se o Senhor quiser mandar uma missionária comigo, por favor, mande-a"
Nem precisa dizer que o Senhor ouviu as orações não é mesmo?  Assim, o autor aconselha:
"Jovem, você não precisa ter medo da vontade de Deus porque ela é boa, agradável, e mais do que tudo, perfeita. Então, descanse n'Ele. Deus jamais o abandonará nesta, ou em qualquer outra área da sua vida. Ele sabe quais são os desejos do seu coração e irá satisfazê-los dentro do Seu plano perfeito."
Por fim, o autor termina o capítulo com uma oração recomendada a todos que reconhecem que precisam entregar o namoro nas mãos de Deus:


"Querido Pai, eu confesso que é tão difícil entregar o meu 
namoro em Tuas mãos. E tão difícil acreditar que Tu estás 
mais interessado com quem eu vou me casar do que eu
mesmo. E além disto Senhor, Satanás sempre cochicha ao 
meu ouvido, que Tu não és bom, que Tu queres me castigar e 
tirar toda minha alegria. Senhor, eu reconheço que a Tua 
Palavra é verdadeira quando promete: 'Agrada-te do Senhor, 
e ele satisfará aos desejos do teu coração' .
Senhor, mais uma vez eu ponho meu namoro no Teu altar 
como um sacrifício vivo, santo e agradável. Jesus, aceita o 
meu sacrifício e quando eu esquecer a minha entrega, 
lembra-me de novo e me dá coragem para confiar que Tu não
darás 'mancada' comigo. No nome do meu fiel Salvador. "
Amém





Portanto, neste capítulos aprendemos que o Senhor nem sempre faz a nossa vontade justamente porque o que tem para nós é algo melhor e mais comum com nós mesmos, o Senhor sabe quem é a melhor pessoa para nos casarmos, ele está preocupado com isso e nós devemos entregar nossos caminhos e confiar! Deus é bom em todo o tempo. O fim do namoro do Kemp, foi o início da vontade do Senhor.



quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Casamentos fortes



"Casamentos fortes DEVEM ser construídos no princípio de amor por Jesus Cristo - encontrar satisfação somente Nele. [...] Você já pensou que os relacionamentos com o sexo oposto são construídos da mesma forma que uma casa? Assim como uma casa sem alicerce, um relacionamento sem preocupação com o futuro ruirá com o primeiro sinal de nuvens de chuva.
Deus deseja que possamos construir nosso relacionamento de futuro casamento como se estivéssemos construindo castelos. Por quê? Porque tanto os casamentos como os castelos são projetados para durar.

Se você viajar pela Europa nos dias de hoje, verá castelos construídos há centenas de anos (talvez até milhares de anos) embelezando a paisagem. É assim que Deus deseja que o nosso casamento seja - um testemunho para as futuras gerações de que um relacionamento, quando é construído de forma correta, pode desafiar as tempestades da vida. Mas, assim como o sábio cons­trutor, precisamos estabelecer a estrutura apropriada."

Livro Romance à maneira de Deus


segunda-feira, 30 de junho de 2014

Cinco maneiras de demonstrar amor


Postei o texto abaixo no blog Menina Mulher Cristã


Olá princesas, hoje vou falar com vocês sobre um livro muito bom que li. Dessa vez, não farei resenha e nem resumo rs mas apresentarei alguns trechos importantes do livro mesclando com poucas falas minha. O livro em questão está disponível on-line intitula-se As cinco linguagens do amor: como expressar um compromisso de amor ao seu cônjuge e trata do amor e em como demonstrar esse amor, no decorrer do livro há relatos reais de casamentos com problemas em que o autor aconselhou atos de mudança baseado nas linguagens de amor. Além disso, no livro também há uma breve explicação das linguagens de amor voltadas para os filhos. 
Embora o livro tenha esse foco, recomendo esse livro para todas as pessoas, independentes de terem ou não maridos e/ou filhos, pois o amor é um mandamento do Senhor, devemos amar uns aos outros e as linguagens do amor ensina mais sobre como fazer isso de maneira consciente. 


Vamos ao livro então: inicia-se com um homem, que se casou por três vezes, e questiona ao autor sobre o que ocorre com o amor após o casamento, no sentido de sentir que o amor diminui, então o autor destaca que “As pessoas falam diferentes linguagens do amor.” Isso mesmo, assim como cada povo utiliza um idioma diferente para se comunicar, cada pessoa utiliza mais recorrentemente determinada linguagem de amor (apesar de que todas as linguagens são importantes e utilizamos mais de uma) a citação abaixo, demonstra isso: 
“O meu amigo do avião usava a linguagem das “pala­vras de afirmação” para sua terceira esposa quando disse a ela o quanto a achava bonita, o quanto a amava e o quanto se orgulhava de ser seu marido. Ele utilizava a linguagem do amor, e era sincero, mas ela não a entendia. Talvez ela procu­rasse o amor em seu comportamento, mas não o encontrou. Ser sincero não é o suficiente. Devemos estar dispostos a aprender a primeira linguagem de nosso cônjuge, se quisermos comunicar eficazmente o nosso amor.” 
Cada pessoa tem uma linguagem em que se sente amado, e devemos descobrir qual a linguagem das pessoas ao nosso redor , ou seja, “Devemos expressar a linguagem do amor da maneira que o outro compreenda na linguagem dele”. O autor destaca que é necessário manter cheio o “tanque de amor” dos outros, especificamente dos cônjuges
Mas afinal, quais as principais maneiras de encher esse tanque? Há cinco principais linguagens do amor, ou seja, há cinco principais maneiras de demonstrar amor, elas são: palavras de afirmação, qualidade de tempo, presentes, serviços e toques físico. 
Abaixo, descreverei brevemente essas linguagens: 



1) 1ª linguagem de amor: palavras de afirmação 

“O objetivo do amor não é 
você conseguir algo que deseje, mas fazer 
alguma coisa pelo bem-estar daquele a 
quem ama. No entanto, é fato que, 
quando recebemos elogios, dispomo-nos 
mais a retribuir a gentileza recebida.” 

Dentre as palavras de afirmação há as palavras encorajadoras, palavras bondosas e as palavras humildes. 
“Uma forma de se expressar o amor emocional é utilizar palavras que edificam. Salomão, um dos escritores da Bíblia, escreveu: “A morte e a vida estão no poder da língua; o que bem a utiliza come do seu fruto”. Muitos casais nunca aprenderam o tremendo poder de uma afirmação verbal mútua. Mais tarde, este rei acrescentou: 'A ansiedade no coração do homem o abate, mas a boa palavra o alegra'”. Elogios verbais e palavras de apreciação são poderosos comunicadores do amor. São os melhores comunicados em forma de expressão direta e simples [...]” 


2) 2ª linguagem do amor: qualidade de tempo 

“Quando digo 'Qualidade de Tempo' desejo afirmar que você deve dedicar a alguém sua inteira atenção, sem dividi-la. Não significa sentar no sofá e assistir televisão. Quando o tempo é gasto dessa forma, quem recebe a atenção são as estações de TV, e não o cônjuge. O que pretendo afirmar é algo como sentar-se ao sofá com a televisão desligada, olhar um para o outro e conversar, no processo de dedicação mu­tua. É dar um passeio juntos, só os dois. É ambos saírem para comer fora, é um olhar nos olhos do outro e conversar. Você já percebeu que, nos restaurantes, é perfeitamente possível notar a diferença entre um casal de namorados e um de casa­dos? Os namorados miram-se nos olhos e “batem papo”. Os casados sentam-se à mesa e olham ao redor do restaurante. Pode-se dizer que foram ali apenas para comer!” 

"O aspecto central da “Qualidade 
de Tempo” é estar próximo. 
Não quero dizer simples proximidade... 
O estar junto tem a ver 
com o focalizar a atenção. "

Assim, dentro dessa linguagem há o tempo junto com a pessoa e a conversa de qualidade, considerando que ao conversar deve-se haver a disposição em expor-se 


3) 3ª linguagem do amor: receber presentes 

Essa linguagem segundo o autor é fácil de ser demonstrada, pois culturalmente somos ensinados a dar e receber presentes:  “Presentes são símbolos visuais do amor, sejam eles comprados, feitos por você, ou simplesmente sua presença disponível para seu cônjuge. Presentes demonstram que você se importa e representam o valor de um relacionamento” 


4) Quarta Linguagem do amor: formas de Servir 

Nesta linguagem está envolvido “aquilo que você sabe que seu cônjuge gostaria que você fizesse. É procurar agraciar realizando coisas que ele (ela) aprecia [...] Jesus Cristo deu uma ilustração simples, porém pro­funda, ao expressar amor através de uma forma de serviço quando lavou os pés dos discípulos. Em uma cultura onde as pessoas usavam sandálias e caminhavam por estradas poeirentas, era costume os servos da casa lavar os pés dos convidados que chegavam. Depois daquela simples expres­são de amor, o Filho de Deus encorajou seus discípulos a seguirem seu exemplo.” 
É importante destacar que “O amor faz solicitações, não imposições. Quando dou ordens a meu cônjuge, torno-me pai (mãe) e ele (ela) filho (a) [...] Se, no entanto, expressarmos nossas necessidades e desejos como pedidos, apontaremos um caminho [...] O pedido implica no elemento escolha. Seu parceiro pode atender ou não o seu pedido, porque o amor é sempre uma decisão. É isso que o torna significativo. Saber que meu cônjuge ama-me a pon­to de atender meu pedido comunica emocionalmente que ele (ela) se importa comigo, respeita-me, admira e deseja fa­zer algo que me agrade. Não há como desenvolver o amor emocional através de intimações. Meu cônjuge talvez obe­deça às minhas ordens, mas isso não será uma expressão de seu amor. Será uma forma de medo, culpa ou de alguma outra emoção, mas jamais de amor. Então, um pedido cria uma oportunidade de se expressar amor, ao passo que uma or­dem sufoca essa possibilidade.” 

5) 5ª Linguagem do Amor: Toque Físico 


“O toque físico pode iniciar 
ou terminar um relacionamento. 
Pode comunicar ódio ou amor” 


"Há muito se sabe que o toque físico é uma forma de se comunicar o amor emocional. Inúmeras pesquisas na área do desenvolvimento infantil chegaram às seguintes conclusões: Os bebês que são tomados nos braços, beijados e abraçados desenvolvem uma vida emocional mais saudável do que os que são deixados durante um longo período de tempo sem contato físico. A importância do toque no que se refere às crianças não é uma idéia moderna. Durante o ministério terreno de Cristo, os hebreus que moravam na Palestina reconheciam que Jesus era um grande mestre e levavam seus filhos até ele para que tocasse neles.Como podemos nos lembrar, seus discípulos repreenderam aos pais daquelas crianças, pois acharam que o Filho de Deus estava ocupado demais para aquela atividade tão “frívola”. Porém, as Escrituras afirmam-nos que Jesus se indignou com os seus seguidores e disse: “Deixai vir a mim os pequeninos, não os embaraceis, porque dos tais é o Reino dos Céus. Em verdade vos digo: Quem não receber o reino de Deus como uma criança, de maneira nenhuma entrará nele. Então, tomando-as nos braços e impondo-lhes as mãos, as abençoava." 



Bom princesas, por hoje é isso, no próximo post escreverei sobre como descobrir a sua primeira linguagem de amor...



quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Quer conhecer um milagre?


Postei o texto abaixo, no blog Menina, Mulher Cristã





"Olá princesas, hoje, venho falar sobre um livro que relata um dos fragmentos da história da Bianca Toledo (já escrevi aqui sobre o casamento dela no post "Um casal unido por Deus"). O livro que venho indicar  intitula-se Bianca Toledo: a história de um milagre, nele, é relatado um pouco da onipotência do Senhor, através da história de uma mulher que diante da realização do seu maior sonho teve um encontro com a morte  e como Lázaro viveu o impossível de se levantar e voltar a viver.
No livro, Bianca relata alguns fatos e outros são relatados por seus irmãos, amigos, mãe, pastores, inclusive a pastora Fernanda Brum que acompanhou todo o caso da Bianca. Além disso, no livro há imagens desse momento de dor.  Destaco um dos relatos da Bianca:


"Esse mesmo Deus que ressuscitou Lázaro me fez voltar à vida. Debelou as bactérias, restaurou minha coagulação, restituiu o funcionamento dos meus órgãos, preservou meu cérebro enquanto meu coração estava parado e o fez voltar a bater. Ele conservou minha alma pela graça e misericórdia me socorreu. Depois de 130 dias recebi alta e fui para casa."




No livro nos é trazido a história de um verdadeiro milagre que alimenta nossa fé, além de recomendar a leitura, também recomendo o vídeo abaixo, em que Bianca relata seu testemunho de uma maneira que  emociona:





Eu não sei como você  se encontra hoje, se como ela sente que algo morreu em sua vida "parou de bater", creia que o Senhor é um Deus que faz viver o que está morto. Vale a pena ler e ouvir sobre uma enfermidade que não foi para a morte, mas para manifestar a glória de Deus."

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Não é demora é capricho...

"Esse mesmo Jesus que ressuscitou Lázaro me fez voltar à vida." 

"Quando Jesus demorou dois dias para sair de onde estava e disse se alegrar por não estar presente na hora da morte de seu amigo, certamente gerou perplexidade e frustração. Mas os pensamentos de Deus são mais altos que os nossos e através daquela demora esgotavam-se as possibilidades e os recursos humanos.
[...]
Deus não demora, Ele capricha"

Trecho do livro-Bianca Toledo: a história de um milagre

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Perder para ganhar




"Perder para ganhar é um processo doloroso e desafiador que nos leva para mais próximo de Deus, quando descobrimos que o que mais importa é invisível aos olhos e chorar algumas vezes é preciso para regrar as sementes da vida." (livro: Bianca Toledo A história de um milagre)





segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Quer viver um romance à maneira de Deus?

Postei o texto abaixo, sexta-feira passada, no blog Menina Mulher Cristã


Olá princesas,  hoje, venho indicar um livro de um casal com uma história muito linda: Eric e Leslie, eles renunciaram o padrão de relacionamento atual e viveram a fidelidade do Senhor nessa área, no livro Romance à maneira de Deus,  é trazido uma nova forma de viver um romance, totalmente na contramão da atualidade. Leslie escolheu viver um romance segundo a vontade do Senhor, ela descobriu que viveria isso justamente quando renunciasse e entregasse sua história nas mãos de Deus,  para isso ela tomou uma decisão radical, é claro que não vou falar qual foi (só para vocês lerem hehe).
Para ficar com ainda mais vontade de ler, no livro também é tratado sobre os tipos de amor  e em qual deles deve ser firmado o casamento, além de ter dicas sobre como esperar o futuro cônjuge.

                    Destaco abaixo, alguns trechos:


“suas emoções são um tesouro, um presente de Deus. Elas são muito mais valiosas do que qualquer diamante. Algum dia você as entregará ao seu futuro cônjuge. Você está cuidando direito delas? Ou. neste momento, elas estão dentro de um copo descartável sendo mastigadas, pisoteadas e jogadas fora?”

“Finalmente, percebi que o meu coração era um tesouro que eu deveria guardar e proteger com cuidado para o meu futuro ma­rido. E esse tesouro tornava-se cada vez mais sujo e frio quando eu me relacionava com um rapaz atrás do outro. Subitamente, come­cei a desejar lutar pelo meu futuro casamento, investir no meu futu­ro casamento, embelezar e fortalecer o meu futuro casamento. E, pela primeira vez em minha vida, descobri como viver da maneira certa antes mesmo de conhecer o homem com quem eu viveria pelo resto de minha vida.”

“Renunciar não é algo que você faz uma vez e pronto. É um compromisso diário! Você pode começar com uma decisão de esperar pelo melhor de Deus nessa área, mas você terá de viver essa decisão cada dia da sua vida.”

“Todos nós nos apegamos a várias coisas em nossa vida, determinados a não abrir mão delas. Como pequenos "posseiros", abraçamos nossos brinquedinhos decididos a não permitir que o amoroso Pai os tire de nossas mãos para que Ele possa nos presentear com coisas maiores e mais belas - e bem mais duradouras. Precisamos aprender a desejar esses momentos e a crer que Aquele que tira é também Aquele que renunciou a todas as coisas por nós. Não é para o Seu próprio benefício, mas para o nosso!”


Eu não sei como está sua situação hoje, se você está vivendo um romance a maneira de Deus, se está esperando por um ou se está vivendo um romance que não é da vontade do Senhor.  Caso você se encontre na última opção, você pode escolher renunciar, para esperar o tempo e a vontade de Deus. Te convido a orar como a Leslie: 


 Senhor, não quero aceitar nada que seja inferior ao Teu melhor. Por favor, ajuda-me a ficar firme, nunca me desviar para a esquerda nem para a direita. Ajuda-me a ficar firme no Senhor. Ajuda-me a guardar o meu coração dos homens que possam tentar roubar o meu tesouro, Guarda-me na pureza para o meu futuro marido. Ajuda-me a esperar pelo meu príncipe de armadura brilhante, o Teu melhor para mim. Senhor, até que me tragas este homem, não me deixes ser enganada por ninguém. Mantenha os meus olhos em Ti. Mantenha os meus padrões bem elevados.

Vale a pena ler esse livro e aprender mais sobre como viver um romance com padrão elevado, um romance à maneira de Deus.


Fonte: ERIC; LUDY, Leslie. Romance à maneira de Deus.


quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Dica para não namorar na forma do mundo

O texto abaixo, eu postei no blog Menina Mulher Cristã 


 "hoje, tenho uma dica de um livro revolucionário sobre o tema: namoro. O livro intitula-se Eu disse Adeus ao Namoro e foi escrito por Joshua Harris que define esse livro como um conjunto de “razões e maneiras de deixar para trás o modo de namorar do mundo.”. É uma oportunidade de mudanças radicais em sua vida sentimental.
Rebecca St. James escreve o prefácio desse livro e menciona “Por que sair para fazer compras se você não tem intenção de comprar nada? [...] Por que namorar se você ainda não pode se casar?” Quando realmente compreendi isso, muita coisa mudou e passei a valorizar a espera na vida sentimental.











Espera que faz com que busquemos o duradouro e não o momentâneo, sejamos sábias princesas, namoro (S) deixam marcas e nos tiram partes, como demonstra o relato abaixo, que também está no livro escrito por Joshua:

“Finalmente chegou - o dia do casamento da Anna, o dia que ela tinha sonhado e planejado por me­ses. A capela pequena e pitoresca estava repleta de amigos e familiares. Raios de sol penetravam pelos vitrais colo­ridos das janelas, e a música suave de um quarteto de cordas enchia o ambiente. Anna caminhava pela passarela em direção ao David. A alegria tomou conta. Este era o momento que ela tinha aguardado tanto. Ele segurou a sua mão carinhosamen­te, e se viraram para o altar.
Mas no momento em que o celebrante começou a condu­zir Anna e David nos votos matrimoniais, aconteceu o impensável. Uma garota se levantou no meio da congregação, caminhou em silêncio para o altar e tomou a outra mão do David. Uma outra garota se aproximou e ficou ao lado da pri­meira, e depois outra também fez o mesmo. Logo, uma corrente de seis garotas estavam ao seu lado enquanto ele fazia o voto para Anna.
Anna sentiu um tremor nos lábios enquanto as lágrimas enchiam os olhos.
Isso é algum tipo de piada? - ela sussurrou ao David.
Me... me perdoe, Anna. - ele disse, olhando para o chão.
Quem são estas meninas, David? O que está acontecen­do? - ela perdeu o fôlego.
- São garotas do meu passado. Ele respondeu com tris­teza. - Anna, elas não significam nada para mim hoje... mas eu dei uma parte do meu coração para cada uma delas.
- Pensei que o seu coração fosse meu. Disse ela.
E é mesmo, é mesmo. Ele implorou. - Tudo o que sobrou é seu.
Uma lágrima correu pela face de Anna. Então ela acordou.”


Forte não é mesmo? Pensar nisso faz com que recuemos em nossas escolhas sentimentais e busquemos o eterno o que não nos tira, mas nos complementa, lembrando que a completude temos no Senhor. Que esse livro possa ser benção nas suas vidas assim como foi na minha e que vocês almejem e compreendam a importância de esperar o tempo do Senhor na vida sentimental.

Fuja do momentâneo nas diversas maneiras que ele aparecer, diga adeus.

Livro: HARRIS, Joshua. Eu disse Adeus ao namoro. Editora Atos, [S.d]."