Pesquisar neste blog

Mostrando postagens com marcador Transformação. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Transformação. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Quando não conseguimos entender e choramos...

2013, ficou mesmo na memória, não era uma noite comum, havia tristeza que não dava para ser entendida, então ouvi a canção e baixinho orei assim:



"Deus, mesmo que eu não consiga entender
E queira tudo do meu jeito, eu até choro
E às vezes até chego a dizer
Por que é que tem que ser tão difícil para mim?
Parece que é difícil só para mim
Não é mesmo?
Eu sei, seus pensamentos são mais altos que os meus
O Teu caminho é melhor do que o meu
Tua visão vai além do que eu vejo
O Senhor sabe exatamente o que é melhor pra mim
E mesmo que eu não entenda o seu caminho, eu confio
E Deus, porque sou tão pequenino assim
Vou ficar quietinho aqui no seu colo esperando o tempo, certo de tudo
Porque eu sei que vais cuidar de mim e o seu melhor está por vir
Eu sei que é o melhor pra mim
Mesmo sem entender
Mesmo sem entender
Mesmo sem entender
Eu confio em ti
Mesmo sem entender
Eu sei que é o melhor pra mim
Mesmo sem entender
Deus, mesmo que eu não consiga entender
E queira tudo do meu jeito, eu até choro
E às vezes até chego a dizer
Por que é que tem que ser tão difícil para mim?
Parece que é difícil só para mim"





Hoje, posso cantar a canção assim:


"Deus, hoje, eu entendi
não quero mais nada do meu jeito
muitas coisas é difícil para mim
mas o Senhor está aqui...
Eu sei, seus pensamentos são mais altos que os meus
O Teu caminho é melhor do que o meu
Tua visão vai além do que eu vejo
O Senhor sabe exatamente o que é melhor pra mim
E mesmo que eu não entenda o seu caminho, eu confio
Eu fiquei quietinho no seu colo para esperar o tempo certo de tudo
o Senhor cuidou de mim, o seu melhor veio até mim

Eu sei que é o melhor pra mim
Hoje entendo
E confio ainda mais em ti



segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Qualidades de uma igreja que alegrava

Postei o texto abaixo, na Revista Revolution 

Olá pessoal, tudo bem?  Hoje, trago uma reflexão baseada na carta que possivelmente foi escrita por Paulo à igreja dos tessalonicenses, essa era uma igreja que estava alegrando os que a conheciam, vejamos os motivos que se encontram nos capítulos 1 e 2 de 1 Tessalonicenses:


1) Era uma igreja que TRABALHAVA
e o que gerava esse trabalho era a fé que tinham.


 2) Era uma igreja ESFORÇADA
e o que gerava esse esforço era o amor.


3)Era uma igreja PERSEVERANTE
e o que gerava a perseverança era a esperança em Jesus.


4) Era uma igreja que IMITAVA A CRISTO
eles receberam a palavra com alegria.


5)Era uma igreja que se tornou MODELO PARA OS CRENTES
através deles e pela fé deles a mensagem do Senhor era transmitida.

6) Era uma igreja que  se VOLTOU PARA DEUS.
e com isso, deixaram seus ídolos, serviram a Cristo e esperaram a volta de Cristo.




Diante de todas essas qualidades Paulo finaliza o capítulo 2, mencionando que eles eram a alegria deles. Pensando nessa igreja, eu me examino e convido a vocês para se examinarem também, será que temos as qualidades que havia nessa igreja? Temos trabalhado com esforço e perseverança para Cristo? Temos imitado a Cristo, sido modelo e temos nos voltado para Deus?  



Ainda há tempo...há tempo de termos fé, amor, esperança, há tempo de recebermos com alegria a palavra de Cristo, deixarmos nossos ídolos, servirmos a Cristo e esperá-lo.
HOJE é esse tempo!






Com carinho
Deus os abençoe
Aline de Novaes Conceição
e-mail: alinenovaesc@gmail.com  

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Sobre o silêncio nas confissões de pecado

Lendo um texto para a aula de História do Brasil....



"Na ausência de toda possibilidade de se fazer compreender, o silêncio sobre si próprio - diferente do esquecimento - pode mesmo ser uma condição necessária (presumida ou real) para a manutenção da comunicação com o meio-ambiente [...]" 
Michael Pollak



A bíblia nos ensina a confessar o nosso pecado, onde não há confissão reflita se do outro lado não há ausência de compreensão....entenda que isso não tem a ver com tolerar o pecado! Compreender é compreender, aceitar e dizer que é certo é outra história

sábado, 10 de outubro de 2015

Litost:estado atormentador nascido do espetáculo de nossa própria miséria

"Litost é uma palavra tcheca intraduzível em outras línguas...
A listost é um estado atormentador nascido do espetáculo de nossa própria miséria repentinamente descoberta. Entre os remédios contra nossa própria miséria, há o amor. Pois aquele que é amado de maneira absoluta não pode se sentir miserável. Todas as fraquezas são resgatadas pelo olhar mágico do amor...O absoluto do amor é na realidade um desejo de identidade absoluta: é preciso que a mulher que amamos...não tenha um passado que lhe pertença particularmente e do qual possa se lembrar com alegria...
Aquele que possui uma experiência profunda da imperfeição própria do homem está relativamente a salvo dos choques da litost. O espetáculo de sua própria miséria é para ele uma coisa banal sem interesse...A litost é,portanto, própria da idade da inexperiência. É um dos ornamentos da juventude. A litost funciona como um motor de dois tempos.Ao tormento se segue o desejo de vingança. O objetivo da vingança é conseguir que o parceiro se mostre igualmente miserável..."(p. 116-117 O livro do riso ao esquecimento) 



Sobre o trecho acima: "Na história sobre um jovem filósofo que sentia-se inferior à namorada, há a introdução de uma palavra que, para o autor, é intraduzível: litost. Litost, segundo Milan, é aquela sensação de inferioridade em relação a outra pessoa. Esse sentimento faz com que tenhamos vontade de agredir esse ser que é superior em algum aspecto. Assim, agredindo-o, nos sentimos recompensados e fazemos com que o outro também se sinta miserável."http://www.revistaovies.com/estante/2011/08/o-livro-do-riso-e-do-esquecimento/




Resultado de imagem para pessoa inferior



E talvez um dos fatores da minha resiliência esteja em tentar explicar tudo. Há um conforto em compreender, mesmo sabendo que há coisas que não tem explicação!

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Dói? Não importa se dói...





Não importa se dói, com Deus, depois de um tempo você olhará para o que te causou dor e sorrirá. Leve como um laço, sereno como a brisa de uma manhã iluminada, você lembrará de tudo sem um pingo de dor, a memória de que houve a dor parecerá tão distante...Deus está tirando da sua memória, lhe dando o esquecimento e assim você caminha.

Oh que bom e suave retirar os pesos das pessoas que outrora pesavam em nossas vidas, como agradecimento, serenamente você desejará bem baixinho:


Fique com Deus, em paz e seja feliz! A- Deus. 

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Terapia




O bom de fazer terapia é que os conflitos tornam-se assuntos de autoanálise.



Contribua para o desequilíbrio da minha pessoa e vire assunto em minha terapia!


E que os antropocêntricos não leiam essa frase...

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Prossiga para o alvo




Ló e sua família foram livrados da morte e ao invés da sua esposa prosseguir, olhou para trás e se transformou em coluna de sal. Prossiga para o alvo esquecendo das coisas que para atrás de ti ficam.

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Ele é quem você precisa

Este é mais um texto que eu não sei onde vai finalizar, mas que sinto uma necessidade enorme de escrever!


Ela sonhou e recebeu exatamente melhor do que poderia perceber, o problema viria quando ela percebera que em meio a perfeição havia defeitos que ela não sabia mencionar e descrever perfeitamente. Compreender o que de fato havia se alterado desde o início não era tarefa fácil e talvez não era tarefa possível.
Entretanto, ela decidiu que veria por outro lado tudo aquilo e ficaria em paz até compreender e saber como agir. Ela, que sempre resolveu seus conflitos sozinha percebeu que agora não seria diferente, aquele que parecia tão sensível, perspicaz, sensato, sagaz, esperto, aquele que a lia como ninguém tivesse lido de repente parecia que não estava ali, que não a conhecia, que não se importava e que permanecia como estranho, permanecia como seu amigo em potencial.
Ele não ousava avançar alguns espaços dela, ele permanecia como estranho ao invés de marcar sua presença, anulava-se e ela respeitava, mesmo sem compreender porque e como conseguia fazer aquilo, ela tentava entender..., tentava fugir de comparações, mas por vezes era inevitável na sua mente!
Até que algo ocorreu, um conflito morto ressurgiu, mas dessa vez seria diferente, ele estaria ali, a guiaria, cuidaria dela, amenizaria a sua dor, não é mesmo? Não, não é...Ela sempre esteve sozinha nesses momentos, mas a diferença agora é que ela frustrou o que esperava, em meio a dificuldade da situação, sua humanidade se sobressaiu e erroneamente ela sentiu raiva, tristeza, como com uma mão seu coração foi apertado e ela estava ali, sozinha como sempre, mas dessa vez um pouco perdida em como agir.
Silenciosamente ela viveu novamente essa situação, com um pouco mais de maturidade entendeu o que deveria fazer! Silenciosamente ela se calou para todos os que tornaram o conflito vivo, mas ninguém ficou sabendo disso, afinal, ela estava sozinha não é mesmo?
Ela, olhando friamente para aquela situação, compreendeu o quanto estava depositando seus sentimentos e auxílio na pessoa errada, sentindo-se boba percebeu que existe sim alguém que a guia, que a cuida, que ameniza toda sua dor, que se importa com tudo que se refere a ela! Ela lembrou daquele que não deveria ter sido esquecido, o seu Deus.
Em meio a essa descoberta, decidiu, despir-se de tudo que não fazia parte da sua vida, de tudo que era pesado e que somente ocupava um espaço que deveria ser ocupado por outra coisa, após três dias ela havia jogado objetos de sua infância, livros, papeis, documentos, cartas, desenhos, bilhetes...Com pesar liberou objetos que estava com ela há exatamente 24 anos, sua idade!
Mas, todavia, entretanto, contudo, sentiu que deveria fazer isso, era o momento de se livrar dos pesos desnecessários, de trilhar novos caminhos de novas formas e maneiras. Ela, agora estava dando início a uma nova etapa da sua vida, decidiu se preocupar e esperar menos dele! Percebendo os defeitos dele, diminuiu as qualidades dele, em meio a essa percepção, optou por acreditar que nada foi ilusório, tudo foi apenas mudança, ele mudou e ela também! Mas, infelizmente a essência poética, sonhadora, romântica,dela permaneceu...e às vezes se liberta e aparece, mas talvez ela não deixe sair tão fácil assim...ou melhor, ela direcionará para aquele que sendo eterno não muda, que sendo onipotente a compreende, que sendo amor a ama exatamente da maneira que ela precisa!

Diante disso, só me resta declarar: prossigamos para o alvo, esqueçamos do que ocorreu! Afinal, quem realmente se importa está na frente, acima e não atrás.


Esquecendo-me das coisas que para trás de mim ficam, prossigo para o alvo! 

terça-feira, 4 de agosto de 2015

O Senhor alargou o meu coração



12 meses foi o tempo suficiente para ser formada e nesse tempo foi como se eu dissesse a Deus:
 -"Estou pronta para amar, pois já o amo primeiro"
o Senhor alargou as fronteiras de Jabes e a mim alargou o coração!

domingo, 26 de julho de 2015

Novidade: colunista em uma revista



Olá queridos, tudo bem? Hoje, venho escrever para contar uma novidade, há poucos dias recebi a notícia que irei escrever na Revista Revolution (http://www.revistarevolution.com.br/).
Essa notícia me deixou muuuito feliz, pois tenho tido a oportunidade de ter contato com pessoas de vários cantos do Brasil e ainda tenho tido a oportunidade de saber que há uma geração apaixonada por Jesus. A idealizadora dessa revista é a mesma que idealizou a campanha "O amor encontrará seu caminho..." e a mesma que leio textos há três anos no site do Eu Escolhi Esperar, ou seja, a Bruna Thalita Aquino.


Que o Senhor nos use como instrumento nessa revista e que ele seja glorificado com a disposição nossa em escrever para ele! Não conhece a revista? Confira a diversidade de jovens que amam diversas coisas, mas que todos tem em comum o coração voltado ao Senhor.




Colunistas da revista...Fonte: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10203281441596427&set=a.4407065114384.1073741828.1821364740&type=1&theater



terça-feira, 14 de julho de 2015

Oração




Sobre a oração:


"Vocês precisam retirar-se e precisam ir a um deserto onde 

ninguém pode achá-lo e buscar o seu Deus" Paul Washer


segunda-feira, 13 de julho de 2015

O pecado por Paul Washer

Na mensagem que Paul Washer fez em 2014, é interessante a maneira que fala do pecado, atualmente, não tenho ouvido sobre isso e ouvir essa mensagem me fez refletir sobre aspectos fundamentais do pecado, o interessante é que ele traz importantes exemplos para suas falas, exemplos baseados em conhecimentos diversos. Apresento o vídeo abaixo e algumas falas que destaquei.







"Muitas pessoas hoje em dia não sabem nada de pecado, os pregadores não ensinam pecado a elas, eles não ensinam os atributos de Deus. Então algumas pessoas olham para Deus como se fossem um vovô tolo ou como se ele fosse um papai noel então eles veem o seu pecado como se fosse algo pequeno. Não existe forma de eu explicar para você quão terrível é o seu pecado diante de um Deus Santo."



Pecado é mais do que aquilo que fazemos é uma parte de nós... alguns teólogos falam de depravação total significa que a corrupção moral permeia todos os aspectos do nosso ser e antes de uma pessoa vir a Cristo é isso que ela é.



Sem Cristo o mal está continuamente presente no coração do homem...


Pregadores que se amam e não te ama não te falam isso, não falam do seu pecado! Eles querem que você o ame, mas se amasse você eles te falariam.


Corrupção não é algo aprendido, é algo com o qual nascemos, é o resultado da queda de Adão. A escritura é clara, todos os homens nasceram em pecado.


Hitler não é uma anomalia e se você não é igual a ele é porque Deus o freou.


Deus é perfeitamente justo e reto e não pode tolerar injustiça. "Quantas vezes Adão e Eva pecaram antes de serem expulsos do jardim?... Apenas uma vez e o universo inteiro foi lançado no caos...pergunta quantas vezes você pecou? A gente não pensa tanto em pecado, mas a gente tem que pensar..."



Não está acontecendo grandes avivamentos porque a maioria das igrejas que estão repletas de 10, 15 e 20 mil pessoas eu escuto a pregação e eles não estão pregando a Deus, as pessoas não estão buscando a Deus. Avivamento é quando você deseja a Cristo somente, o que a bíblia fala do pecador? Ele não busca a Deus. Uma das características do homem carnal? Ele não busca a Deus... Muitos querem ir para o céu, mas muitos cristãos não querem que Cristo esteja lá.


A única maneira de você receber o cristianismo é ver que você não é bom.


Os 10 mandamentos, a lei não salva ninguém. E veja um problema, você não consegue guardar, o propósito da lei é condenar você.



Quando ninguém está pregando sobre Deus as pessoas criam Deus segundo a sua própria mente...quantos anos da sua vida você gastou estudando os atributos de Deus? Quantos anos você já esteve sob a pregação de um pregador que gastou a maior parte do tempo pregando sobre os atributos de Deus? Você diz que Deus é santo, mas você já estudou sobre isso? Você entende sobre isso? Você sabe como Deus olha para o pecado? Como ele responde sobre isso? 


"O povo de Deus é ignorante sobre Deus. A razão que há tantos programa e eventos na igreja, tantas estratégias sobre discipulado é que a gente nessa atividades estamos tentando trocar o conhecimento de Deus por outra coisa. Se as pessoas são realmente convertidas sobre um evangelho verdadeiro e são ensinadas coisas tão importantes sobre quem é Deus, elas vão andar com ele."


"Avivamento genuíno é quando as pessoas se voltam para Deus em obediência e em amor."

O que o cristão deve fazer com sua fraqueza







"[...] no momento que eu peco e sempre que eu pecar minha primeira resposta será travar uma espera em Cristo."

terça-feira, 30 de junho de 2015

Elias e o milagre do sustento



Postei o texto abaixo no blog Princesas de Jesus



"A farinha da vasilha não se acabará e o azeite  na botija não se secará [...]" (1 Reis 17:14)




Olá queridos, quanto tempo que não posto aqui não é mesmo? Deus tem me mostrado que é tempo de me ensinar algumas coisas baseado na vida de Elias, pensei em juntar todos os aprendizados da vida desse profeta e depois escrever, mas diante da necessidade de compartilhar vivamente o que o Senhor tem me falado, inicio esse post.
Havia fome onde Elias estava, como em uma crise o povo de Deus estava faminto e adoravam um outro deus. O Senhor ordenou que Elias saísse da onde estava e milagrosamente o alimentou com águas de um riacho e com pão e carne trazidos por corvos de manhã e de tarde.

O SENHOR ALIMENTOU ELIAS MILAGROSAMENTE

Em tempos de crises, talvez você já tenha parado para pensar em como se sustentará? A cada dia uma notícia mais ruim entra dentro das nossas casas, são empresas falindo, as vendas caindo, a crise aumentando...Diante disso, devemos nos lembrar que o Senhor move até os animais para nos sustentar, Deus é aquele que supre as nossas necessidades e diante do medo não devemos ter medo, pois quem está conosco tem todo o poder.
Após um tempo, que Elias estava bebendo, a água do riacho secou e o Senhor ordenou que Elias fosse ter com uma viúva em outra cidade e que ela o alimentaria, a viúva é a pessoa menos indicada para alimentar alguém, quantas viúvas com a perda do marido ficaram desemparadas? Essa, ainda tinha um filho e  diz a Elias que não tem como alimentá-lo, mas o nosso Deus trabalha com situações improváveis e então Elias diz a ela o que o Senhor havia dito a ele:

"A farinha da vasilha não se acabará e o azeite  na botija não se secará [...]" (1 Reis 17:14)


E assim ocorreu, até que Elias se encontrou com o povo que estava crendo em Baal e após o povo passar a acreditar no verdadeiro Deus, Elias disse que viria chuva. Entretanto, o servo dele precisou verificar por sete vezes, imaginem seis vezes o servo dizendo que não havia sinal de chuva...Isso também ocorre nas nossas vidas, diante das circunstâncias que nos dizem não, para aquilo que Deus disse sim, devemos crer e esperar, pois o Senhor é fiel para cumprir. Na sétima vez o servo disse que via uma nuvem, tão pequena quanto a mão de um homem e foi com essa nuvem que veio a chuva forte que estava sendo esperada.

O nosso Deus tem todo o poder para trabalhar com aquilo com parece difícil, creia amadas, o Senhor é aquele que não deixará que lhe falte o que lhe é necessário! Ele move céus, move animais, move todas as circunstâncias para te sustentar. Ore e entregue tudo ao Senhor, pois:


A oração move! Há poder  naquele que 

recebe nossas orações.


segunda-feira, 13 de abril de 2015

Dialética da vida


Compreender a dialética da vida é identificar que há contradições na realidade.
Realidade que consiste em conexões dinâmicas. 

Somos um eterno vir a ser em meio as transformações, usamos da antítese diante da tese para formarmos nossa síntese.


Toda antítese traz em si o germe da crise. Dessa maneira nos formamos , ou seja, na negação de nós mesmos... nos negamos para nos compreendermos! 

Não há compreensão sem negação!

Diante disso, só nos resta nos felicitarmos e vivermos a angustia da crise do EU!

quarta-feira, 11 de março de 2015

Você percebe que está na hora de sair de casa quando

Você percebe que está na hora de sair de casa quando


-Não concorda com os valores dos seus pais;
-Enxerga a realidade e vê que seus pais vão contra a bíblia;
-Não enxerga seus pais como heróis e se irrita com os erros comuns;
-Repugna tanto egoísmo e teme em ficar igual;
-Os velhos hábitos deles o irrita;
-Chora constantemente por se sentir tão deslocada;
-Percebe que muitas regras deles são inúteis e pautadas no egoísmo e autoritarismo;
-Não os compreende;
-Anseia por morar em qualquer lugar mesmo que seja pior, desde que não tenha eles por perto;
-Não aguenta mais ouvir os mesmos clichês, as mesmas reclamações e a mesma velha mania de criticar o mundo todo, inclusive você;
-Detesta as crises melancólicas e sem motivos da sua mãe;
-Não compartilha mais sua vida, pois percebeu que sua mãe faz questão de espalhar tudo o que você diz;
-Fica longe deles por uma semana, e mesmo sozinha não sente falta;




É você cresceu, e eles ainda são os mesmos e vivem como os pais deles, mas você não...












Eu não sou a mesma e não vivo como os meus pais e graças a Deus por isso!












sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Sou mulher e escolho ser eu: um desabafo

Certo dia tive um diálogo truncado desses que nos faz refletir por dias o porque daquele diálogo ter me afetado tanto, o diálogo iniciou-se quando mencionei que meus filhos poderiam ter os brinquedos que quisessem.  Quem estava comigo masculinamente respondeu que não, pois menino não poderia ter bonecas e nem menina carrinhos que não fosse aqueles rosa (da barbie ou da Polly) como se dissesse que há brinquedos para meninos e brinquedos para meninas.
As mulheres hoje, ocuparam espaços nunca antes ocupados e os homens passaram a dividir esses espaços com as mulheres, ao ponto de não haver uma divisão do que é de menino e do que é de menina. As mulheres aprendem a dirigir, fazem faculdade, especialização, mestrado, doutorado, compram sua própria moto, seu próprio carro, sua própria casa, viajam sozinhas, trabalham em vários empregos e assim vão desbravando o mundo. Os homens por sua vez já não as tem o tempo todo ao seu lado, a dividem com as suas rotinas lotadas e acabam tendo que aprender a cozinhar, limpar a casa e cuidar de filhos (quando elas escolhem os ter).

No meio disso tudo vejo alguns homens com identidade confundida, não sabem até onde vão, o que fazem ou o que não fazem, na hora de pagar a conta, eles não veem problemas em ter uma mulher independente ao seu lado que paga sua parte ou paga a conta inteira; na hora de lavar o carro ou a moto e abastecer eles também não veem esse problema, mas na hora de ser guiado por ela, na hora de pensar nos serviços domésticos, então jogam fora toda valorização da mulher independente... “Deixa que eu dirijo, você não sabe dirigir...somente eu sou bom nisso...você tem que aprender a cozinhar, você terá que cuidar da casa...” e etc. OU SE VALORIZA EM TODOS OS SENTIDOS A MULHER INDEPENDENTE OU NÃO SE VALORIZA!
Se fosse para eu escolher uma sociedade a viver com certeza não seria essa, é uma crise de identidade de ambos os lados. Eu sei o tipo de mulher que escolhi ser, mas a sociedade não sabe, meus pais e qualquer outros pais com certeza nunca entenderão e por mais que finjam que entendem eu sei que no fundo não admitem eu ter escolhido estudar ao invés de ficar em casa, eu ter escolhido trabalhar ao invés de ter filho, eu ter escolhido viajar para estudo ao invés de comemorar datas importantes, eu ter escolhido ficar a madrugada acordada para estudar, ao invés de dormir.
 Eu escolhi fazer pós, trabalhar, viajar, dirigir, pagar para comer uma comida caseira ao invés de fazer, eu escolhi me vestir e sair de casa para comer aquele doce que tenho vontade do que encarar o fogão e tentar fazer, eu escolhi não saber cozinhar e sonhar em ter  um escritório ao invés de uma cozinha.
Ao contrário do que a masculinidade afirma, eu não tenho o dom para a cozinha, sou tão descompassada como qualquer homem e quer saber? Eu não estou fazendo a mínima para aprender, em meio as pós da vida, minha preocupação está mais relacionada a aprender a nova gramática, a pesquisar de maneira rigorosa, a contribuir cientificamente com a sociedade, a cumprir os créditos da disciplina, a fechar meu projeto de pesquisa, a enviar trabalhos a eventos, a ter meu artigo aceito na revista renomada...
Eu não sou uma mulher desse tempo, sou moderna apesar de ser a moda antiga, apesar de carregar em mim valores cristãos e morais, há coisas em mim que não são antigas. Meus filhos brincarão com o que quiserem, se meu filho querer uma boneca ele vai ter (afinal, um dia ele poderá escolher ter filhos), se meu filho querer brinquedos que lembrem a cozinha ele vai ter (afinal, espero que se case e divida as tarefas domésticas com sua esposa), se minha filha querer carrinho ou moto de brinquedo ela vai ter (afinal, espero que tenha seu próprio meio de locomoção), se minha filha querer hominhos que lembram exército, policiais e etc ela vai ter (afinal, já existem mulheres trabalhando nessas profissões). Eu não estabelecerei limites aos meus filhos, a liberdade que eu tive de escolha (nesse sentido), eu a passarei para meus filhos.
E que a sociedade não tente tirar essa minha liberdade, dizendo que como mulher devo fazer isso, aprender aquilo, ficar em casa, lavar, passar, cozinhar, limpar e ainda para ser ideal poderei porventura trabalhar (desde que não atrapalhe os serviços domésticos) e entregar todo o meu dinheiro dentro de casa. Eu posso afirmar que escolhi ser mulher e nessa escolha eu escolhi ser eu e ignorar os preconceitos e as pré concepções estabelecidas por essa sociedade fora do meu tempo.




A transformação das mulheres e os homens


A incrível geração de mulheres que foi criada para ser tudo o que um homem NÃO quer

RUTH MANUS
18 Junho 2014 | 11:15
 Às vezes me flagro imaginando um homem hipotético que descreva assim a mulher dos seus sonhos:“Ela tem que trabalhar e estudar muito, ter uma caixa de e-mails sempre lotada. Os pés devem ter calos e bolhas porque ela anda muito com sapatos de salto, pra lá e pra cá.Ela deve ser independente e fazer o que ela bem entende com o próprio salário: comprar uma bolsa cara, doar para um projeto social, fazer uma viagem sozinha pelo leste europeu. Precisa dirigir bem e entender de imposto de renda.Cozinhar? Não precisa! Tem um certo charme em errar até no arroz. Não precisa ser sarada, porque não dá tempo de fazer tudo o que ela faz e malhar.Mas acima de tudo: ela tem que ser segura de si e não querer depender de mim, nem de ninguém.”Pois é. Ainda não ouvi esse discurso de nenhum homem. Nem mesmo parte dele. Vai ver que é por isso que estou solteira aqui, na luta.O fato é que eu venho pensando nisso. Na incrível dissonância entre a criação que nós, meninas e jovens mulheres, recebemos e a expectativa da maioria dos meninos, jovens homens,  homens e velhos homens.O que nossos pais esperam de nós? O que nós esperamos de nós? E o que eles esperam de nós?Somos a geração que foi criada para ganhar o mundo. Incentivadas a estudar, trabalhar, viajar e, acima de tudo, construir a nossa independência. Os poucos bolos que fiz na vida nunca fizeram os olhos da minha mãe brilhar como as provas com notas 10. Os dias em que me arrumei de forma impecável para sair nunca estamparam no rosto do meu pai um sorriso orgulhoso como o que ele deu quando entrei no mestrado. Quando resolvi fazer um breve curso de noções de gastronomia meus pais acharam bacana. Mas quando resolvi fazer um breve curso de língua e civilização francesa na Sorbonne eles inflaram o peito como pombos.Não tivemos aula de corte e costura. Não aprendemos a rechear um lagarto. Não nos chamaram pra trocar fralda de um priminho. Não nos explicaram a diferença entre alvejante e água sanitária. Exatamente como aconteceu com os meninos da nossa geração.Mas nos ensinaram esportes. Nos fizeram aprender inglês. Aprender a dirigir. Aprender a construir um bom currículo. A trabalhar sem medo e a investir nosso dinheiro.  Exatamente como aconteceu com os meninos da nossa geração.Mas, escuta, alguém  lembrou de avisar os tais meninos que nós seríamos assim? Que nós disputaríamos as vagas de emprego com eles? Que nós iríamos querer jantar fora, ao invés de preparar o jantar? .... Que a gente não ia ter saco pra ficar dando muita satisfação? ....Aí, a gente, com nossa camisa social que amassou no fim do dia, nossa bolsa pesada, celular apitando os 26 novos e-mails, amigas nos esperando para jantar, carro sem lavar, 4 reuniões marcadas para amanhã, se pergunta “que raio de cara vai me querer?”.“Talvez se eu fosse mais delicada…  Não tivesse subordinados. Não dirigisse sozinha à noite sem medo. Talvez se eu aparentasse fragilidade. Talvez se dissesse que não me importo em lavar cuecas. Talvez…”Mas não. Essas não somos nós. Nós queremos um companheiro, lado a lado, de igual pra igual. Muitas de nós sonham com filhos. Mas não só com eles. Nós queremos fazer um risoto. Mas vamos querer morrer se ganharmos um liquidificador de aniversário. Nós queremos contar como foi nosso dia. Mas não vamos admitir que alguém questione nossa rotina.O fato é: quem foi educado para nos querer? Quem é seguro o bastante para amar uma mulher que voa? Quem está disposto a nos fazer querer pousar ao seu lado no fim do dia? Quem entende que deitar no seu peito é nossa forma de pedir colo? ... Que somos a geração da parceria e não da dependência?E não estou aqui, num discurso inflamado, culpando os homens. Não. A culpa não é exatamente deles. É da sociedade como um todo. Da criação equivocada. Da imagem que ainda é vendida da mulher. Dos pais que criam filhas para o mundo, mas querem noras que vivam em função da família.No fim das contas a gente não é nada do que o inconsciente coletivo espera de uma mulher. E o melhor: nem queremos ser. Que fique claro, nós não vamos andar para trás. Então vai ser essa mentalidade que vai ter que andar para frente. Nós já nos abrimos pra ganhar o mundo. Agora é o mundo tem que se virar pra ganhar a gente de volta. 


Fonte:>http://vida-estilo.estadao.com.br/blogs/ruth-manus/a-incrivel-geracao-de-mulheres-que-foi-criada-para-ser-tudo-o-que-um-homem-nao-quer/

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Um caminho?



"Por favor, pode me dizer que caminho devo tomar para sair daqui?
perguntou Alice.  Isso depende muito de onde você quer ir - respondeu o gato. "


Lewis Caroll



Chegou a hora de ler Alice no país das maravilhas!