Pesquisar neste blog

Mostrando postagens com marcador Crianças. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Crianças. Mostrar todas as postagens

sábado, 27 de agosto de 2016

Como criança: calma, logo você irá embora


Eu lhes asseguro que, a não ser que vocês se convertam e se tornem como crianças, jamais entrarão no Reino dos céus.


Constantemente me pego pensando nesse versículo e constatando  o motivo dele estar na bíblia rs. Trabalhar com crianças é por diversas vezes compreender o que de fato esse versículo significa. 


O que seria se tornar como criança?


Essa resposta abrange várias atitudes, mas hoje, venho chamar atenção para um fato que ocorreu no início do ano letivo. Estava eu auxiliando uma outra professora com crianças do maternal II (3 anos), muitas eram a primeira vez que adentravam em um ambiente escolar, é claro que meus dias auxiliando foram repletos de choros,  afinal eles choravam muuuuuito e eu pensava o motivo de tudo aquilo, além de chegar em casa e continuar ouvindo os choros deles que ficaram gravados na minha mente. Não demorou muito (15 dias) para os choros cessarem por completo.
Nesta semana me peguei lembrando daquele episódio e de como acalmávamos os pequenos dizendo:

Resultado de imagem para crianças três anos indo escolar-Vamos ligar para a sua mamãe tudo bem? É só parar de chorar...a mamãe já está vindo...

Com o tempo muitos não queriam nem ir embora, afinal, na escola havia amigos, parque, brinquedos e tantas outras coisas divertidas.  Mas mesmo assim, eles sabiam que o lar deles era o melhor lugar e quando viam a mamãe saiam correndo rs. 


Mas por que o choro se era tão divertido?

O medo impedia que aqueles pequenos se divertissem, eles eram incapazes de se cuidarem sozinhos e confiavam plenamente no cuidado da mãe com comida, higiene, amor e etc. Em meio a isso, estar na escola sem a mãe era como se ela não voltasse...O que faria os pequenos sem as mães? Como sobreviveriam? E então o medo das mães não voltarem se transformava em choro até que descobriram que as mães retornariam e então se desafogaram um pouco e continuaram a brincar, mas se passasse do horário da mãe buscar e ela não estivesse ali o choro retornaria.

Percebe a dependência do outro? E a esperança do retorno? Na nossa vida Cristã precisamos depender de Deus e confiar nele todo o nosso cuidado. É claro que inicialmente na caminhada cristã quando algo der errado iremos "chorar" e pensar que cristo não está mais lá, que não irá nos buscar, mas depois de um tempo vamos entendendo que haverá momentos que precisaremos sofrer um pouquinho e não significa que Deus não está lá, mas que ele está esperando o tempo certo para intervir e vir nos buscar. Com o tempo, vamos percebendo que Deus não estará o tempo todo nos dando coisas, fazendo nossa vontade e etc, haverá momentos em que se silenciará,  mas ele voltará para nos buscar e ele sabe que é melhor nos deixar na escola por um tempo para aprendermos melhor e nos aperfeiçoar, enquanto isso, não chore não...Cristo retornará "... já está vindo... !". 




segunda-feira, 4 de julho de 2016

Partes de um casamento




Quem foram os primeiros a receberem o convite de participação do seu casamento?




As crianças é claro!

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Eu amo minha mãe porque....

Nesse tempo de chegada do dia das mães, perguntei aos pequenos de 4 anos, por que vocês amam a mãe de vocês, a resposta mais dita teve a ver com gelatina rs abaixo, as respostas:



Eu amo minha mãe porque...


Ela compra brinquedos
Ela gosta de mim
Ela compra uva
Ela faz gelatina
Ela faz carinho
Ela compra maçã

Ela faz comida gostosa

De todas as respostas me apaguei na segunda, a pequena ama a mãe porque ela a amou primeiro, não nos parece familiar e bíblico? Rs





"Nós amamos, porque ele nos amou primeiro." (1 João 4:19)

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Amor pedagógico


Não haviam me contado, mas aprendi professorando que no primeiro dia de aula,
todas as crianças são apenas todas as crianças...Com o passar dos dias elas
vão se tornando singulares, ocupando nossos corações  de um jeitinho todo especial!
Em poucos meses elas alargam meu coração
para poderem morar nele!
Pedagogicamente passo a amá-las
Ao final do ano letivo,
está eu lá chorando
por ter que deixar
cada criança
singular e
única.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Deus segure a minha mão: um caso de criança




Olá pessoal, 2016 tem começado com tudo, prometendo que será um tempo com muitos afazeres e falta de tempo, é interessante que isso me anima e me dá fôlego novo para enfrentar o ano da correria rs.
Nesse janeiro, comecei diferente, trabalhando com uma turma que não será minha, mas passarei com eles 10 dias. As crianças tem idade variada entre meses e quatro anos, um dia enquanto brincávamos no parque infantil, eu estava auxiliando uma criança de dois anos a descer do escorredor, ao lado desse brinquedo eu segurava a mão dela e assim ela descia segura, todavia as escadas ela subia sozinha.
Em meio a essa descida, decidi em uma que não seguraria  a mão desse pequeno, foi quando ele desceu cambaleando e quase caindo, diante disso, na próxima vez que subiu ele olhou para mim e disse

-mão prô!
Esticando a mão para mim


Naquele momento estiquei a mão e ele desceu tranquilamente. Naquele momento, comparei a nossa vida com a dessa criança, quantas vezes queremos soltar das mãos de Deus e então cambaleamos, quase caímos ou caímos mesmo? Deus nos possibilita fazer algumas coisas, como sair do escorredor, subir as escadas, mas na hora de descer devemos esticar a mão para aquele que nos auxilia, e firmemente confiar que a descida está segura porque ele nos conduz.


Deus segure a minha mão! Não permita que eu caia do escorredor da vida...




segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Não temas: o caso de uma criança


Postei o texto abaixo, na Revista Revolution 




Olá pessoal, como estão? Como passaram o feriado? Nesse feriado eu tive a oportunidade de estar com tios e primos que moram há duas horas da minha cidade, foi um tempo bom em meio a correria da nossa vida e quero compartilhar com vocês um dos episódios desses dias que passamos juntos. Dentre os primos que mencionei havia uma priminha que tem três aninhos, todas vezes que vem à Marília/SP eu pergunto para ela o que ela quer fazer aqui na cidade, como ela não sabe o que responder eu dou algumas opções e ela sempre me responde:


"Nine eu quero dar comida para os patos" 


Que lindo essa singeleza não é mesmo? Podendo escolher tantas coisas escolhe a mais simples, dessa vez ela foi mais avançada rs quando descobriu que viria nos visitar já foi dizendo que iria dar comida para os patos com a Aline e ao chegar ela me perguntou se eu levaria ela até a "Terra dos patos". O nome foi ela quem deu, mas realmente é como se fosse a terra dos patos, é um lago com vários patos que vem ao encontro de quem tem comida em suas mãos. Todas as vezes que os patos vinham a minha priminha corria até que eu explicava para ela que eles não fariam nada e que eles queriam o alimento, mas dessa vez foi beeeem diferente, a pequena pegou os pães soltou a minha mão e foi até os patos jogando os pães, eles chegaram perto dela e de repente ela estava longe de mim rodeada de patos, nesse momento, eu estava pronta para ajudá-la quando ela olhou para mim e disse:


"Esses patos estão menores nine?"

Eu sorri e permaneci no meu lugar entendendo que ela estava me dizendo que não tinha mais medo, que aqueles patos eram menos assustadores que antes. A pequena de três anos permaneceu envolta aos patos e não ficou com nenhum medo deles.

O que aprendemos com tudo isso? O pato não estava menor, mas minha priminha que cresceu e nem foi em tamanho, ou melhor nem foi tanto em tamanho, pois faz apenas dois meses que ela teve contato com esses patos, mas ela cresceu ao engolir o medo que tinha dos patos, ela foi perdendo o medo justamente porque o enfrentou. O Senhor nos chama para sermos corajosos, ele nos ensina a perder nossos medos e confiarmos no agir dele. Na bíblia há vários versículos em que o Senhor nos diz para não temer como abaixo:

"não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça." (Isaías 41:10)


Qual o seu medo? Não temas, não se amedronte diante do "Pato" chegue perto dele, enfrente e com Deus você verá que os patos ficarão menores...


terça-feira, 26 de maio de 2015

Sobre ter filhos e sobre considerar a vontade de Deus



Uma criança de nove anos me diz


-Então você ficou noiva e vai casar? - disse a criança.
-Sim... - respondi.
-Hum, estou vendo sua aliança...Você vai ter filhinhos?

-Provavelmente...Se eu tiver terei dois!
A criança olha pra mim bem séria e então responde:
-Isso não é você que vai decidir, isso já é com Deus!

Só me restou rir kkkk



Respostas de crianças sobre o casamento




"O que é exatamente o casamento?
“Casamento é quando você fica com uma garota e não devolve mais ela para os seus pais!” – Eric, 6
Qual a idade apropriada para se casar?
“84 anos! Porque nessa idade, você não precisa mais trabalhar e pode usar todo o seu tempo para amar um ao outro em seu quarto.” – Carolyn, 8
O que a maioria das pessoas fazem em um encontro?
“No primeiro encontro, eles apenas contam mentiras um para o outro e isso é o suficiente para ir ao segundo encontro.” – Martin, 10
É melhor ser solteiro ou casado?
“É melhor para as meninas ser solteiras, mas não para os meninos. Os meninos precisam de alguém para limpá-los!” – Anita, 9
Por que o amor acontece entre duas pessoas em particular?
“Ninguém sabe ao certo por que isso acontece, mas ouvi dizer que tem algo a ver com cheiro… É por isso que perfume e desodorante são tão populares.” – Mae, 9
Como é estar apaixonado?
“É como uma avalanche que você precisa correr para salvar a sua vida.” – John, 9
Sobre a beleza no amor
“Nem sempre é apenas sobre como você aparenta. Olhe para mim. Eu sou bonito e não tenho ninguém para me casar ainda.” – Brian, 7
Opiniões particulares sobre o amor
“O amor vai encontrar você, mesmo que você tente se esconder dele. Eu tento me esconder desde que eu tenho cinco anos, mas as meninas continuam me encontrando.” – Dave, 8
Como fazer o amor durar
“Não esqueça o nome de sua esposa… Isso vai atrapalhar o amor.” – Erin, 8
“Não diga que você ama alguém e, em seguida, mude de ideia… O amor não é como escolher qual filme você quer assistir.” – Dave, 8"


Fonte: http://www.updateordie.com/2015/05/13/opinioes-de-criancas-sobre-amor-e-casamento/

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Sobre o aprender

Inicio a aula de matemática dizendo:



-Eu sei que vocês já estão aprendendo multiplicação, mas hoje vou ensinar um novo jeito de resolver as contas que envolvem tabuada....


Todos ouvem atentamente e iniciam os exercícios, então a coordenadora pedagógica chega até a sala e  o aluno que é tido como o mais indisciplinado e aquele que menos domina os conteúdos diz para ela:


-B. olha só, eu estou fazendo, eu entendi como faz contas de vezes, porque a professora Aline ensinou...antes eu não tinha entendido, mas hoje eu entendi....



A felicidade na face dessa criança enche meu coração de esperança, que maravilhoso poder contribuir com o aprender! Quantas vezes o Senhor quer nos ensinar algo e como não compreendemos altera a forma com que ensina? Ele insiste no ensinar até que possamos olhar com olhos brilhantes e dizer "eu entendi como faz".






sábado, 17 de janeiro de 2015

Dom

Na minha prática dom para mim é aquilo que te deixa iluminada e animada quando você se aproxima! Não é por acaso que em inglês dom é "gift" (presente), aquilo que nos alegra, nos motiva nos faz bem receber e ter. Não importa o que os outros pensem eles nunca entenderão que isso realmente te move e te atrai, "Kibon" que não há mandamentos bíblico dizendo que tenho que ser entendida por eles!
Se não há mal e se te faz bem, FAÇA! Quanto aos outros, eles continuam sendo os outros....




quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Gritar baixinho?



- Como sua mamãe trata o papai? 
-As vezes a mamãe trata o papai bem, às vezes mal...às vezes eles gritam baixinho...- respondeu a menina de cinco anos.






Pode parecer estranho ouvir isso, gritar baixinho? Como inserir duas palavras contrárias na mesma frase? Entretanto, estranho mesmo é a inteligência dessa criança que sem saber me lembrou que não é apenas o tom que faz as palavras soarem ásperas como um grito, a maneira que falamos e as arquitetamos, pode fazer que mesmo baixinho elas soem como um grito!



quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Não consegue obedecer?

Com quatro aninhos, na Escola Bíblica Dominical (EBD)  durante o momento inicial de pedido de oração ela diz:






-Queria pedir pra Deus abençoar minha mãe...É que ela me bate...Ah, ela me bate porque eu não obedeço, eu queria pedir também para poder obedecer, porque eu não consigo! Eu queria obedecer, mas eu não consigo...



Há conflitos que perpassam as idades, na busca de obedecer descobrimos que não conseguimos obedecer por completo o que nos ensina a palavra do Senhor! 
Que essa busca não seja desanimada, mas aprimorada!