Pesquisar neste blog

sábado, 30 de junho de 2018

O verbo Neymar

Estamos em plena copa do mundo futebolística e eis que o Neymar se joga no chão em todo jogo, finge que empurraram, faz drama, finge dor e etc.

Diante disso, fiquei pensando que precisávamos de um verbo que demonstrasse que a pessoa caiu por se jogar, ou seja, caiu de propósito...

Qual melhor verbo do que Neymar? 

Imagine você  perguntando se o fulano caiu ou neymou...Ou então falando se as vendas da empresa caíram mesmo ou alguém neymaram elas... kkkkk fica então a dica, caiu sem querer? É  cair mesmo, caiu de forma intencional? 

Eu Neymei
Tu Neymaros
Ele Neymou
Nós  Neymaremos
Vós Neymareis
Eles Neymaram 

quinta-feira, 28 de junho de 2018

Deixe partir






É certo que venha partir
Tudo que não me faz andar, crescer ou sorrir
É certo que venha partir
Tudo o que não me traz a paz pra ser feliz

Veja como o céu é bom
De notas tristes, vem, insiste até eu mudar o tom
Veja como o céu é bom
Do meu silêncio fez dele um lindo som

Veja como o céu é bom
De notas tristes, vem, insiste até eu mudar o tom
Veja como o céu é bom
Do meu silêncio

Veja como o céu é bom
Do meu silêncio fez dele um lindo som

Então é certo que venha partir
Pois perto de Deus aprendi
Que é certo quando deixo ir
Pra ganhar o que o céu guardou pra mim





Perguntaram para a Marcela sobre a inspiração dela para essa música, e ela respondeu que era um término de um noivado. Você tem um relacionamento que você se prende e sabe que em suma não é da vontade do nosso Deus? Deixe ir....Troque o que não te deixe andar, crescer ou sorrir!

Tudo posso em Cristo




Plano de fundo da tela do meu Computador!


Comemorando as pequenas conquistas, recuperando a motivação e focando na TESE!


Bora, que com Cristo somos maiores, não sou eu, mas é ele através de mim...

Organização de leitura: pesquisa bibliográfica


Resultado de imagem para muitos livros bagunçados



Desde o início deste ano que venho lendo sobre meu tema de doutorado...Por fim finalizei os livros, artigos, teses e dissertações que tive acesso e ainda ando esperando uns poucos que virão da UNICAMP e da USP.
O fato é que li tudo, fiz o fichamento...Agora, acabei de reler o fichamento e de 215 páginas transformei em 30, pensa que é suficiente? Never, estou eu aqui pensando em como organizar tudo isso para inserir na tese...



Pesquisa bibliográfica é o ato de organizar pensamentos de autores, buscar semelhanças e diferenças e categorizar de uma forma resumida e analítica! Ando sofrendo com isso e queria finalizar hoje, o que não será possível.

quarta-feira, 27 de junho de 2018

A saudade bate

Não  há  nada mais verdadeiro que a frase bateu a saudade...quem colocou esse verbo antes da saudade foi um gênio. Quando se tem saudade se apanha no coração, as lembranças são buscadas na memória, os olhos são fechados para ver se rola uma enganação de confusão do cérebro de que aquilo é  real então...

Bateu saudade, apanhei de saudade, que dor então...

domingo, 10 de junho de 2018

O amor tem várias formas



O amor tem várias formas e todas elas são belas; 
basta um pouco de sensatez e doçura para ver 
o que não se olha com olhos de rapidez
Pedro e Aline
De todas as formas, posso citar algumas....
Como aquela ao te olhar e ver somente em você o olhar que me cuida, 
Como aquela de ver seus braços me cobrindo durante a gelada noite,
Como aquela ao mastigar o gosto do amor 
preparado com ternura para nos alimentar.
O amor tem várias formas e todas elas são belas...


Diário de um casamento 2: vida doméstica


Tenho sentido muita falta de poder compartilhar algumas coisas aqui com vocês sobre o casamento, mas a vida acadêmica, a vida de casada, o trabalho, as visitas a mãe e a sogra não tem possibilitado isso rs Tenho feito três disciplinas na UNESP e com isso tenho muuuuuuuuuuitas leituras e trabalhos para fazer, além do projeto de pesquisa e das aventuras que tenho tido, como a oportunidade de ministrar minicursos e aulas em cursos de graduação e as escritas de capítulos de livros e artigos científicos.

Vida acadêmica a parte, hoje, queria tratar de casamento. Algo que fez muito bem para mim e o Pedro foi o curso de noivos que fizemos antes de casar, o denominado ONE


Resultado de imagem para curso one de noivos



Nesse curso tivemos a oportunidade de discutir vários  assuntos e um deles foi a vida doméstica, lembro-me de um sábado à noite o Pedro e eu com a apostilado curso  na mão tratando do tema e chegando a conclusão que dividiríamos essas funções.
Hoje, após 1 ano e meio de casados, posso dizer que isso deu muito e muito certo. Temos um quadro de rotina com as nossas funções que com o tempo foi se alterando, mas o bom é que sempre tudo é dividido e ninguém culpa o outro por aquilo, afinal tudo aqui de casa é de todos.
Fazer comida, limpar casa, lavar roupa e etc., tudo é feito em parceria...Com o tempo temos descobrido que podemos ceder espaço para o outro, por exemplo, eu prefiro limpar a casa sozinha (algumas vezes o Pedro faz junto comigo), então quando limpo a casa ele vai ao mercado e faz compra; ou lava a louça, limpa o fogão e lava a roupa.
Sinto-me satisfeita nessa vida doméstica que tem tomado um tempão nosso, mas não tem sido fardo para ninguém. O Pedro gosta de cozinhar e possui atributos para isso, então os almoços e as comidas dos finais de semana (quando comemos) é dele, a janta é minha, pois ele precisa que tudo esteja pronto para ir à faculdade, enfim, esses são alguns exemplos de como temos nos adequado.


Diante disso, com esse post quero mostrar que os tempos mudaram e as rotinas dos casais também, assim, não há problemas em adequarem e dividirem tarefas, mas para não chocar é bom que se converse no  noivado o que se espera do outro nesse quesito, vai que a mulher se casa achando que irá dividir e o homem se casa achando que somente irá receber. Nada é mais frutífero que o velho e bom diálogo. Dialogando eu posso dizer que nesse quesito, meu Henrique está se saindo melhor que o esperado e posso agradecer a Deus por isso...


e assim cuidamos um do outro em PARCERIA!







segunda-feira, 4 de junho de 2018

Está perplexo?




2 Coríntios 4:8-12

De todos os lados somos pressionados, mas não desanimados; ficamos perplexos, mas não desesperados; somos perseguidos, mas não abandonados; abatidos, mas não destruídos. 10 Trazemos sempre em nosso corpo o morrer de Jesus, para que a vida de Jesus também seja revelada em nosso corpo. 11 Pois nós, que estamos vivos, somos sempre entregues à morte por amor a Jesus, para que a sua vida também se manifeste em nosso corpo mortal. 12 De modo que em nós atua a morte; mas em vocês, a vida.



Resultado de imagem para bíblia vintage

Formas de amar: aprendendo com crianças 61


Nessa nova cultura, ela que sempre teve desde bebê até grandões a chamando de professora...Precisa ficar repetindo mil e uma vezes que ela é prô ou professora e não tia. Não é soberba não, mas é engajamento político de quem sabe o que a tia quer dizer na sociedade e de quem sabe que não é parente, mas profissional que estudou e muito para estar ali.
Diante de tantos dizeres o aluno de cinco anos a olha e de repente sem contexto desse dizer rsrsrs ele diz:


-Olha só gente, não vou mais chamar ela de tia, vou chamá-la de prozinha...

Ele olha para ela e diz:

-Né prozinha?


Ela que sou eu abrimos um sorrisão  e entendo que aquele pequenino está querendo dizer que tia é carinhoso, professora é tão diferente, mas feito isso ele arrumou uma forma de manter o profissionalismo e o carinho... Tratou logo de criar uma nova palavra que reúne tanto amor e respeito.



Resultado de imagem para professora vintage

sexta-feira, 1 de junho de 2018

Um. novo outro?

O impasse daquela menina merece ser compartilhado ... O outro só  pode existir no outro , mas e quando  aquele outro deixa de existir?  Então somente resta decidir entre conhecer esse novo outro ou ficar com a memória  do antigo outro se recusando a ver qualquer outro  naquele outro !
Quando as qualidades que você  mais admira se desmoronam e defeitos que você  nunca havia visto surgem,  é o momento em que a casa desaba e só  te resta descobrir se vale a pena construir novamente com aqueles materiais ou deixar a ruína decidir . . .

Foi assim que respondi para aquela menina !Pobre menina...

E ela. me disse...
-Estou tomando coragem... Quando estiver bem cheia decido!